quarta-feira, 15 de outubro de 2008

que bueno 04

voltamos. no caminho, tentando fazer as horas passarem mais rápido pois nossa cadeira não reclinava e era difícil dormir, fizemos um ranking dos buenos. aqui seguem o que mais gostamos:
da quantidade de monumentos históricos espalhados por toda cidade sendo utilizados e em ótima preservação; da diversidade da cidade, parecem várias numa só; das ruas sempre cheias de gente caminhando, pra lá e pra cá, sem medinho de violência. faz muito sentido ocupar as ruas pra que elas não sejam uma ameaça, não?; dos artistas de rua de alto nível (a maioria) por todo lado, embaixo de um dos hostels havia uma banda ótima que tocava toda noite, tomávamos banho com trilha sonora de 1a; do transporte público muito barato e eficiente; dos cafés com suas deliciosas vitrines a cada esquina; do bom gosto portenho, desde o estilo das roupas à decoração dos lugares; das sobremesas, são bem melhores que as comidas, especialmente a magnífica abuela goye, o sorvete de frutas do bosque ficará pra eternidade; da boa cultura da média da população, sabiam muito mais sobre o brasil do que sabíamos da argentina, garçom, taxista, estudantes, estão muita mais conectados com assuntos da américa latina, chegou a dar vergonha de nossa ignorância; do patriotismo com embasamento, não falam do tango só pra dizer "só nós temos tango, é a melhor dança e música do mundo!!", sabem a história, o contexto, a importância pro país, será que podemos explicar o samba?; de nossas novas amigas josefinne e maria laura; do vinho calla alta; da supremita de pollo do restaurante manolo (indicação do aires buenos); do bom senso rs, muitos reconhecem que o pelé foi o melhor do mundo, e se isso não bastasse, conhecem muitos outros históricos jogadores brasileiros e até escalações, todos queriam saber nossa opinião sobre o dunga porque achavam a seleção do brasil atual a melhor do mundo e não entendiam porque não ganhavam, bom, também não soubemos explicar mais essa; do estímulo à cultura, muitas coisas são gratuitas ou muito baratas, entrei no museu malba (lindo) de graça por ser estudante, era $15,00; da capacidade de mesclar o antigo com o moderno, dando continuidade à história mas no tempo de hoje, vemos isso em prédios históricos que por dentro ganharam design super moderno. 
Posso lembrar de mais coisas e vou atualizando. Essas foram nossas impressões, erramos? Uma coisa que não gostamos e que não pode deixar de estar aqui foi o "milanesa com papas fritas"em todo lugar e super gordurete, fritura não é o forte, precisam fazer um estágio com as bancas de pastel de japas aqui de sp. próximos posts de imagens buenas. 

3 comentários:

Theo disse...

Engraçado que nunca tive vontade de ir pra Buenos Aires. Impressão preconceituosa de ser uma cidade de velho... Com esse negócio do peso desvalorizado, muitos amigos foram e eu nunca me interessei... Depois desse post, me deu uma vontade de ir, hein... Espero fotos!

Thiago disse...

Abrir a porta do metrô de madeira Ñ tem preço... AH, e os alfajores tbm!! Tive overdose de alfajor...

tati travisani disse...

sim, os clássicos alfajores. de todos os tipos, tamanhos e preços...