segunda-feira, 4 de maio de 2009

rio marginal

sempre penso que gostaria de ter conhecido são paulo há 200, 300 anos atrás: uma cidade que crescia aos poucos, em construções lentas e elaboradas, num solo rico com grandes árvores, rodeando seus rios largos. hoje quase todos os rios viraram córregos e só são lembrados quando passamos por eles nas avenidas que os margeiam. são sinônimo de "credo, que fedor!!", de tempos a fio parados no trânsito aguentando esse fedor e claro, de alagamentos. 
sonho num dia que esses rios sejam lembrados como rios, mesmo que marginais. 

fim de tarde no rio pinheiros.

2 comentários:

rosangela disse...

Oi, Tati!! Olha quem andou por aqui!! dei uma olhada breve no seu blog, parece bem legal, vou olhar com mais calma qdo eu puder!! que saudades!!! nao conseguimos nunca mais nos ver, né? mas nao esqueço q a primeira vez q comi sushi e AMEI foi com vc naquela festa bacana na Vermelha do Centro, aqui em Ubatuba!! Boas lembranças!!! Ve se aparece por aqui de novo, combine com algumas das meninas, eu ia simplesmente adorar!! beijao, Ana Gabriela

Thiago disse...

Tatislau, penso nisso toda vez q passo por córrego aqui perto de casa. Qualquer dia desses te mando a foto!